yazilimweb tasarim
Reiki na Fábrica. Uma pequena entrevista

Reiki na Fábrica. Uma pequena entrevista

Apresentamos uma pequena entrevista feita a João Pestana (JP), responsável pelo Reiki, dando assim a conhecer mais uma das diversas actividades existentes na Fábrica.

FA – João explica-nos em que consiste o Reiki, qual a sua utilidade e benefícios.

JP – A melhor definição de Reiki, e aquela que faz todo o sentido para mim, é a que diz que “Reiki é amor incondicional”. Reiki (Rei/Universo e Ki/Energia) é uma técnica ancestral, redescoberta nos finais do século XIX por um médico Japonês chamado MikaoUsui, de equilíbrio e harmonização pessoal que trabalha a Energia Vital, ou seja a força que gera a vida de todos os seres vivos no planeta. O Reiki é uma terapia complementar, que se aplica pelo contacto ou proximidade das mãos, proporcionando alterações nas nossas dimensões físicas, emocionais, mentais, espirituais e energéticas.

O Reiki é uma técnica não intrusiva e que por si só não cura mas potencia a auto-cura a quem o recebe, desbloqueando o nosso sistema energético, tornando-o mais fluido, mais capaz de resistir às doenças. O Reiki produz um estado de relaxamento, aliviando o stress, cansaço, ansiedade e promovendo a eliminação de toxinas.

FA – Como e quando surgiu esta ligação ao Reiki?

JP – Não fui eu que escolhi o Reiki mas foi ele que veio ter comigo. Sendo um materialista durante mais de cinquenta anos e procurando sempre uma justificação científica, provada e comprovada, nunca tinha prestado grande atenção aos assuntos mais holísticos nem a práticas espirituais. Por várias vezes fui convidado a práticas de meditações, Chi Kung, Tai-Chi e outras, mas nunca liguei nenhuma. Até que um dia uma amiga me falou de um curso de Reiki e, aproximando-se o aniversário da minha filha ainda muito jovem e ligada ao Yoga e a outras actividades mais espirituais, perguntei-lhe se gostaria de participar, ao que

respondeu afirmativamente. No dia do curso acabou por preferir ir a um festival qualquer e, como me tinha comprometido com o curso, acabei por ir eu. Depois de um dia em que questionei tudo e não deixei o pobre o Mestre em paz, sai de lá com o primeiro nível de Reiki e a recomendação de fazer auto Reiki nos 21 dias seguintes. Assim fiz e, para grande surpresa minha, comecei a sentir grandes alterações em mim. Medos, inibições a desvanecerem-se e uma maior calma e felicidade a manifestarem-se. O Reiki não é imediato e é uma mudança que vai acontecendo com o tempo. Iniciei assim a prática de Reiki em mim e oferecendo sessões a outros, tendo posteriormente feito os segundo e terceiro níveis. Posso dizer que o Reiki acabou por mudar muita coisa na minha vida.

FA – E foi assim que o Reiki surgiu na Fábrica?

JP – O Reiki surgiu na Fábrica logo no seu início, por haver além de mim, outras pessoas com a disponibilidade para oferecer sessões de Reiki. Assim tornou-se uma prática comum, com sessões individuais e algumas partilhas. Embora algumas dessas pessoas tenham seguido outros caminhos e por ser, para mim, quase um “milagre” o bem que o Reiki me faz e, quero acreditar, ajudando os outros, sempre desejei manter viva a sua prática na Fábrica.

CS – Qualquer pessoa em qualquer idade pode fazer Reiki?

JP – Sim. Todos podem receber Reiki independentemente da idade. O Reiki pode também ser dado a animais, plantas ou até simplesmente à mãe terra ou ao Universo. O Reiki não pode fazer mal nem prejudicar, até pela sua definição de ser amor incondicional. Para se dar Reiki é necessário possuir pelo menos um curso de nível 1 onde se aprendem as suas bases, as posições de tratamento e se recebe a iniciação que abre os nossos canais energéticos, possibilitando a partilha da energia universal aos outros através de nós. O Reiki é não intrusivo e sendo, simples e fácil, pode ser feito em qualquer local, em qualquer altura e, pessoalmentedigo, faz milagres.

FA – O que dirias a potenciais “clientes” de Reiki na Fábrica?

JP – O que disse anteriormente sobre a sua prática e os seus efeitos. Acredito que pode ajudar e trazer mais bem-estar a quem o recebe. Eu ofereço as sessões de Reiki não cobrando nada, embora agradeça a quem puder, que deixe um pequeno donativo livre à Fábrica pela utilização do espaço. A prática do Reiki é tão boa para quem o recebe como para quem o oferece. Pela felicidade que sinto quando posso ajudar e pelo bem que me faz sentir, só posso ficar grato por cada sessão em que participo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *