Ciclo de cinema (do) Absurdo – Brasil, O Outro Lado do Sonho de Terry Gilliam

Loading Map....

Data / Hora
Date(s) - 11/12/2020
21:00 - 22:35

0

Localização
Fábrica de Alternativas

Categorias


Notas:

Entrada gratuita, com acesso exclusivo a associados da Fábrica.

Dando cumprimento às orientações da DGS para este tipo de actividade, ter em conta que: a capacidade / lotação estabelecida deverá ser respeitada; à entrada, as mãos deverão ser desinfectadas; o uso da máscara será obrigatório; o distanciamento social deverá ser de 2 metros, seja na circulação, seja enquanto sentado.

Para efeitos de controlo de lotação inscrevam-se enviando e-mail para fabrica.de.alternativas@gmail.com

 

Sinopse:

Ciclo de Cinema (do) Absurdo

Em filosofia, “O Absurdo” refere-se ao conflito entre a tendência humana de procurar o significado inerente à vida e a inabilidade humana para encontrá-lo num universo sem propósito, sem significado ou caótico e irracional. Nesse contexto, “absurdo” não significa “logicamente impossível”, mas “humanamente impossível”. Como seres que buscam significado para a vida num mundo sem sentido, os humanos possuem três maneiras de solucionar este dilema. Soren Kierkegaard e Albert Camus descrevem as soluções nos seus trabalhos, O Desespero Humano (1849) e O Mito de Sísifo (1941), respectivamente para lidar com o absurdo, seja pelo suicídio, pela religião e espiritualidade ou pela aceitação do absurdo.

Neste ciclo de cinema vamos ter a oportunidade de vermos como vários realizadores abordaram este paradoxo humano.

Título original: Brazil

De: Terry Gilliam

Com: Jonathan Pryce, Robert De Niro, Katherine Helmond

Género: Drama, Comédia, Fantasia

Classificação: M/12

Outros dados: GB, 1985, Cores, 94 min.

Nesta ópera kafkiana aparentemente sem fim, testemunhamos os julgamentos e tribulações de Sam Lowry, um burocrata que se torna inimigo do Estado devido a um erro de impressão num documento administrativo. Construído com uma estrutura semelhante a um labirinto, ele tira proveito do seu cenário distópico fantasioso para fazer uma sátira da vida no mundo pós-moderno.

Todo mundo é monitorizado pelo governo, cada centímetro de espaço disponível é usado para fins de marketing e, personalidades e sonhos são abandonados em proveito da produtividade e do comportamento obediente. Sam representa o trabalhador oprimido, que parece um robô preso na mecanicidade de um trabalho que não lhe traz nenhum tipo de realização.

O único lugar onde Sam pode estar em paz consigo mesmo é no mundo dos seus sonhos, onde ele é um super-herói que parte em buscas surreais para salvar uma mulher que ama. É um filme de afirmação da vida que fala sobre a emancipação do indivíduo.

O filme parece perguntar: quão civilizada é a civilização, se ela torna todos os nossos dias enfadonhos e miseráveis? “Brasil” é um convite caloroso para quebrar as algemas do estilo de vida corporativo que atrapalha a nossa imaginação, e as buscas do nosso coração em buscar algo mais orgânico e agradável.

Deixar uma resposta